quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Imagine

Imagine


Não!
Eu nunca poderia deixar de agradecer a Deus
Pela Graça
Pela Glória
Pelos Anjos
Por todos os Santos
E por apenas três Homens
E se ontem Postei
O que será o Amanhã
No outro dia (hoje) vi
O que tanto esperei por tantos anos
E digo... Deus!
Ainda poderemos sonhar
O que Neruda sonhou... Nos Estatutos do Homem
E ainda poderemos imaginar
O que John Lennon imaginou... Imagine
E imaginem bem
Shalon Divina!
Que as minhas palavras
Misturam-se com as minhas lágrimas
Neste incontido esgar
De... Felicidade
Parabéns!
Grande Barack Obama
Parabéns!
Grande Raul Castro
E Parabéns! Ao Papa Francisco
O Condutor da Luz,
Pois o passado só serve de vai e vem
Para ressentimentos
Para estímulos dos instintos
Aonde a Mágoa, e o Ódio,
Venha colher... Revanches, e Revides;
E a Desgraça vem, e trás,
A sua Aquarela pra pintar
A Fome
A Morte
E um Sino a badalar incessantemente...
Maldito será
Qualquer Destino.
Mas quais palavras que eu possa dizer
Neste momento Histórico
Que intempestivamente imponho a vocês três
Pela iniciativa, e sensatez... O láureo Nobel da Paz
E agradeço a Deus
Neste momento de reflexão,
Pois me contemplam aos meus 65 Anos
Com meu maior Presente de Natal
E juro! Jamais pensei que isto fosse acontecer
E te agradeço Pai!
E Bendita sois agora... Senhora Mão dos Homens


Comentários do Autor: No momento essa consciência “Mutante” só consegue falar: “Que Deus ilumine os” passos de Obama, os passos de Castro, e a compreensão do Povo Cubano, e dos Estados Unidos das Américas, pois a medida tem por respaldo a coerência, e a sensatez; e pode ser considerado o passo mais largo dado pela Humanidade nestes últimos Cinquenta Anos do Pós Guerra Fria, e que talvez abra Alas para outras tomadas de posições em relação à Diplomacia, e a Harmonia Global, e que venhamos de todas as partes do Mundo: enterrar de vez essas desavenças que não nos conduzem a lugar algum; a não ser; a nossa própria destruição.
Esqueçamos as retaliações, e as Ideologias: esqueçamos nossas “diferenças”, e que não venhamos deixar que retaliações assumam-se sem pensar: como opositores deste pensamento que vem minimizar as incoerências do passado, ou reconstruir aquilo que destruímos por mera implicância, ou deixamos de construir.
Que a Comunidade Internacional acate o momento, pois Deus colocou nas mãos do Papa Francisco; a Chave imaginária de todas as Alianças, e se Deus quiser não teremos Guerra: e se Deus quiser; haveremos ter Paz: e se Deus quiser, a Humanidade poderá repensar que não valerá a pena, e que nenhum Poeta venha se pronunciar, ou escrever... O que será o Amanhã; e sim...



Ao Papa Francisco... Deus lhe pague
Ao Presidente Obama... Idem!
A Nação Cubana... Idem! Idem! Idem!
Aos refugiados Cubanos... Calma! Calma! Muita calma,
E saldemos os Arquitetos da Paz, da Prosperidade, e da Esperança!
Sem mais

Dr. Ademar Raimundo de Barros.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Yesterday

Yesterday



Domingo bom
Domingo pra se curtir
Domingo pra refletir... Quem foi que lambeu os Pratos e foi dormir.
Encheu o bucho e se esqueceu dos Ratos
E só sobraram Ossos
Mas me deixaram uma mensagem de aviso...
Nas suas atualizações se for preciso;
Não venha rastrear aquilo que somente nós queremos visualizar
Me – mi – Comigo
Contigo!
Fica muito difícil de compartilhar... Não sois do Grupo;
Grupamento
Regimento
Seguimento
Estatuto
Sindicato
Ou Partido;
Ou em qualquer Sistema que pudesses ser... Sargento, ou Soldado,
Pois para o Estado Maior
Sempre serás motivo de exclusão
Por bi-polaridade incontestável
Com esta vocação de Paladino.
Mas quê fazer? Se tua pretensão é ser; Só... “Pelegrino”
Ou Andarilho! Não sei!
Ou... Ademar Cristo;
Já tão acostumado a dizer... “Que amanhã eu vou”
Excluir:
O mimetismo dos escrúpulos das espículas
E ao bem da verdade,
Não! Por Idealismo
E brando ainda respondes
Nestes translado de Postagens
E no meio de Credos e Descrenças,
Que não sabes falar em Aramaico
Pudera! E ainda bem que é Língua já extinta
Quando mal falas o Português
E má... Escreva-o ainda
Nas sombras dos abismos que te cercam
E nas inutilidades dos inúteis
Transgênicos de quem?
E entre Tratos, Distratos, e Tratados,
O que queres dizer;
Destas outras Ondas
Que na contemplação dos seus movimentos ondulatórios
Só consegues vê...
As Nuvens da Ribalta, e as perfídias,
Do Vandalismo que vem nestas línguas estranhas... Como Tempestades;
E ainda pergunta-nos
O que vocês me diriam disto?
I, II, III.
E ainda insiste
Cadê! Ramehda I
Cadê! Ramehda II
Cadê! Ramehda III
Que rezam na “Comunidade Branca” de Rhamathis
E que contestam as Sociedades... Elites de Thuthimóis
E outros Faraóis de OI! Telefonia Celular... Que comfabulam
Não lhe disse Rapaz!...“Este não presta”.



Uma boa Segunda-feira para vocês...


                                                                        Dr. Ademar Raimundo de Barros.


Comentários do Autor: Ficam para aqueles que compreendam.



Dr. Ademar Raimundo de Barros.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Não falo em Aramaico

Não falo em Aramaico



E não me censurem pelas últimas Postagens, pois vocês estão solicitando isto à Sociedade Brasileira há bastante tempo: no tempo que vos pergunto: por qual razão é imposta a condição de um Juri Popular para selar qualquer barbaridade? Alguém matou; as provas são evidentes; a própria confissão do Réu já o condena; Defensor Público faz a sua parte neste espetáculo que eu não chamaria de banal, mas necessário: e uma minoria sempre espera 4X3... Nunca! Por unanimidade... Sete a Zero prol, mesmo que o miserável tenha por absoluta a culpa.
Aí eu vos pergunto? Qual a Prova Inconteste da última vontade da falecida? Uma assinatura sem autenticação Cartorial? Fato discutível! E se posto em discussão a presumível falsificação da assinatura? Quem ressuscitará a Morta? Para inverter o que em perspectiva conjetura-se: e que não mora no vazio da imaginação; pois vive no campo das probabilidades mesmo limitado por um coeficiente de significância, mesmo que seja mínimo.
Querem que continue?
Desculpo-vos pelas vossas próprias ignorâncias, pois isto ficou para este Réu inconfesso: que não é dono da Sabedoria: que não aferiu a Ética Médica, mas que discorda das Decisões de todos os Conselhos: porque não me é permitido acatar a conduta errada de qualquer Médico, mesmo que ele seja o “Bicho da Goiaba”, ou o “Rei do Gado”: e pluralizando os termos (no meu caso), permitam-me a generalização... Eu não concordo com o Corporativismo dos Conselhos, nem mesmo que esta deliberação tenha o respaldo do Conselho Federal de Medicina; e agora me volto para vocês, e vos pergunto: quanto de vós Senhores Meritíssimos!       Possam compreender as inuâncias de um Atestado de Óbito? Nenhum! Por que a maioria dos Médicos Brasileiros não conhece a responsabilidade de compreendê-los, ou preenchê-los seguindo uma linha incontestável no âmbito do conhecimento Médico e Científico; e os que conhecem demais, são corrompidos, e muitas das vezes por medo, e muitas das vezes por capricho, e muitas das vezes; cheio de exageros por motivos diversos; quando não; evasivos, sem nexos com o “pecado”, e descompromissado com o óbvio, ora! Um morto a mais! Quando seja de conhecimento geral que após a morte são estabelecidos os Direitos inerentes a aquele que morreu, e aqueles que venham preencher a Cadeia Sucessória, ou participar como herdeiros de um inventário.
Agora permitam a crítica que fiz a Súmula 182 imposta na decisão de um Processo decido pela maioria de Vossos Meritíssimos da Primeira Turma do nosso Supremo Tribunal Federal, que deveria ser desaforada para o Conselho Nacional de Justiça: não tenho Advogado para isto, pois eles tremem por “zêlo”: enquanto eu só posso temer pela famosa aplicação da Súmula Sete (apanágio de manobras Políticas), pois a mesma nada modifica, nem ilude; só disfarça... Cria-se alguma coisa nova... Subentenda-se.
Mas como é que vocês que foram tantos; ao ponto de compor uma “unanimidade” ilusória: e não conseguiram ver; as Falsificações, as Prevaricações, e o Estelionato cometido Cartorialmente na aplicação de dos Parônimos (nomes parecidos). Mas no meu pequeno entender: qualquer manobra que venha ludibriar a Fé da Justiça; deva ser motivo de nulidade Processual com benefícios para o “cujos” que ainda é justo (o Apelante), e em desfavor do Apelado; além da aplicação Penal cabível aos responsáveis pelas falsificações; e não com essa falsa alusão... Não era a vontade da falecida, ou... Ele é Medico! Ele não precisa disto; ou... Não houve combatividade... Como? Se até os Advogados se perguntam... O que podemos fazer; se eles são... Meritíssimos!
Agora! Imaginem bem o tamanho, ou dimensionamento que separa este caso tão simples onde o mérito maior reside nas “migalhas” que o Estado por Direito me deveria pagar: dos CASOS e Montanhas em Fortunas desviadas no escândalo da PETROBRAS; não há comparações que possam explicar as razões de tanto preciosismo, e tanto zelo para causas mínimas; e imaginem por comparação: a preocupação Norte-Americana por uma causa Negra, e tudo veio contribuir para as manifestações que hoje aquela Nação enfrenta por um Homem só: e no meu parecer: se a Justiça Americana procurou agir de forma sorrateira: num Júri Popular composto de maioria Branca; se iludiu; e os Afros-norte americanos foram as Ruas numa demonstração de que o Poder tem suas limitações, e agora eu mesmo quero ver como é que fica: mas não fiquem pensando que tudo vai ficar assim como o Brasil possa pensar, ou pensa; pois lá a Nação é conscientizada, e os seguimentos da Sociedade Americana sabem muito bem: o que seja Direito, e Dever, e o Exercício pleno da Cidadania: ou o que possa ser... Mentiras, e “Verdades”; não há jeitinho Brasileiro não; e nem ocorrem assim sem solução, ou “solucionados” como...
The Case Vazzini
Nos... Arquivos da Lei
O que vocês me diriam disto
The Case Ramehda
E tantos mais
Alguns com complementações... I, II, e III
E; pois... Dr. Ademar Raimundo de Barros,
Em combatividade... Outra vez.
E tem mais
E se houver repercussão na Corrida de Sucessão Presidencial Americana, a continuidade Governamental que se censura por aqui: será instalada lá, e queira Deus que os Deuses compreendam: o que será bem melhor para a Democracia Americana: e que as Raças que não se toleram não se assumam e partam para retaliações de forma extrema senão o cenário que se vislumbra tem um peso, e um preço muito alto á ser pago; amargo, e inglório; mas o que se possa fazer quando a Democracia diz-se ser... O Governo do povo, para o povo; e não... O Governo mora no absolutismo do Poder, e que as Regras que moldam este poder não emanem da vontade deste Povo; e sim, de Grupos que se intercalam nesta condição; Oito anos para mim; Oito anos para você, e seguindo o ritmo... O estado agora é Republicano, mas amanhã deverá ser Democrático (suponhamos que esteja assim)... Concordo! E se não for assim? Pela vontade do próprio povo; ou que essa vontade seja consequência de uma decisão tomada por um Júri Popular que por incrível possa parecer que venha modificar talvez o Destino da História dos Estados Unidos das Américas.
Sem mais, e sem Som...

Dr. Ademar Raimundo de Barros.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Incoerências

Incoerências


Quantas vezes eu tenha que solicitar
Vênia! Vênia! Vênia! Meritíssimos
Uma, duas, três;
Mas quantos são vocês que mais parecem Mil
Homens!
Não Estrelas
Que Telescopicamente lá dos Céus
Veem-nos
Como se estivessem vendo... Bactérias
Grande ilusão!
Cabível
Nas Psicopatias dos Maníacos
Que por Mania
Justificam Vetos
Ou por antipatia
Ou por protelação
Pois apesar dos pêsames, ou pesares,
Que mora na intimidade dos ímpares; não dos Pares.
E cada caso é um caso
E nisto
A probabilidade pende
Para o descaso
E o descaso descanse
Nos arquivos...
Mas enquanto degladiam na Justiça
Visto posto
Não concedo a Liminar
Parte dispositiva no Processo,
Anexo este despacho mais com o seguinte teor
Isto por que o autor
Nunca representou
Que tenha alguma relevância pra Justiça
E alguém em comprimento ao retro mandato
Certificou-se e exarou
O referido é a expressão da verdade... Dou-lhe fé
E coitada da Advogada
Flávia Nascimento
Que nem sei onde está
Que não me orientou nesta contenda,
E que não tem nada a haver com essa questão
Errei quando a substituí
Bem antes de sair à decisão;
Mas o que foi que o outro Advogado fez
Nada! Nada! Nada!
Só melada!
Que nem observou o DOE
Ou por negligência, ou compactuação;
Mas ganhastes a causa Flávia
Que foi Extraditada
Para os Arquivos da Corrupção
Independente do anterior consenso do Supremo
Depois que outros assumiram a Teia
Que mais perece
Um jogo de Xadrez
Onde as regras mudam em Frelance
Não manda mais o Rei
Nem se protege tanto as Rainhas
Os Bispos não valem mais
E os Cavalos... Zelos dos Peões

                        Dr. Ademar Raimundo de Barros.


Comentários do Autor: Eu posso contabilizar mais de Dez anos de perseguição, pois consegui somar 38 anos de vida Pública, e por onde andei vi mais a escassez dos escrúpulos, a corrupção de tudo que possa existir, ou que exista, a incompreensão, a indignidade, e a incoerência: mas o que me assusta mais, é que todos querem ser vistos como Santos. Fui eu quem apresentou provas de participação ativa num Processo de Separação de fato, e não de Direto: quando deixo patente a minha lisura por não ter denunciado abandono de Lar pensando na Seguridade Social das minhas Filhas menores. Fui ei que tive que engolir o inadmissível diante de uma Mulher, doente e deprimida pela contundência do prognóstico da sua doença chegando a esquecer-me o que dita a Lei... Onde esteja o Rei; esteja também a Rainha; e admiti a minha incapacidade de vê-la abduzida por um Sequestro consentido, onde estavam misturados: Complexos de Édipos “exaltados”, Ressentimentos, e Síndrome de Estocolmo de etiologia presumível.
Sou eu a fonte de pagamento de Pensões de Alimentos desde 1995: quando as minhas Filhas jê concluíram o Curso Superior, uma é Enfermeira, a outra é Licenciada em Arquitetura; as duas estão na maioridade (29/27 anos de idade respectivamente), uma delas (a mais “velha”), já Civilmente e Religiosamente Casada. Além das Pensões determinadas na razão de 30% de todas as funções ou atividades empregatícias desenvolvidas por mim, e da compra de um Imóvel em área nobre na Praia de Intermares, localizada em João Pessoa-PB: quando no presente momento estou encontrando dificuldades para a cassação das Pensões, pois alegam os Advogados que... As minhas Filhas têm mágoas; e que eu precise apresentar Atestações recentes de Tuberculose Pulmonar, e Hanseníase, que contraí e que tratei há bem dez anos atrás... Compreendam bem... Que Paraíso! No próximo Mês Maio, devo completar 65 Anos de idade; e tenho três Filhos Adolescentes, e um deles agora diagnosticado com Síndrome de Hirschiprung, e passível de Tratamento Cirúrgico de Megacolon de curto trajeto, pois esta doença também é conhecida por; Aganglionose Intestinal Congênita, e possa vir acompanhada por outras Síndromes; o que significa gasto; o que significa... Dinheiro... Ou que possa significar SUS em Tratamento Fora de Domicílio, pois a Cirurgia de Durramell/Swenso não se faz aqui; e exige-se uma Equipe Multidisciplinar em Proctologia.
Eu denunciei erro Cartorial nas Atestações de Óbito que me enviaram após a Morte da minha da minha ex-Esposa... Estado Civil; Separada. Não existe este Estado Civil, e em momento algum como provável herdeiro, ou legatário, cometi contra o “de Cujos” atos considerados ofensivos, e indignos contra a vida, honra, e liberdade: pelo contrário; lutei contra uma Família que não queria que o “de cujos” se submetesse a um Transplante de Medula Óssea, quando o único Doador que era uma de suas Irmãs, negou-se ao Procedimento: por orientação de outro Irmão que lamentavelmente “é Médico”: e quando eu soube da Morte da minha Mulher, eles já a tinham enterrado há mais de oito Dias: mas pude informar outras  aberrações gritantes que ao STJ não tenham informado... O nome dele é Erivaldo, mas consta no Atestado de óbito emitido por duas vezes... Erinaldo... O CRM DELE É; 8178, E É OMITIDO EM QUAL ESTADO DA FEDERAÇÃO: o que contrasta com o CRM da Atestação; CRM 3964-CE, pertencente a Dra. MARIA JURACY SOLON PETROLA: e sem Falar que o CFM me informou... Não existe no Brasil nenhum Médico Inscrito com o nome de EriNaldo Luiz da Costa... Querem mais! Senhores Meritíssimos da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal.
E A Lei que restringe o Divórcio para parâmetros de dois anos, é datada de 2002; quando a Morte ocorreu no Ano 2000: quando é cabível aqui: “Folga a Justiça, geme a natureza” humana, pois o Direito Adquirido é uma espécie de Direito subjetivo, e definitivamente incorporado pela norma que lhe conferiu, e mesmo que surja uma nova Lei, ou mesmo depois da revogação da norma, a nova Lei não poderá retroagir para anular o Direito Adquirido... Mas o Processo; Meritíssimos! Falava outras Falácias, e não estava escrito em Aramaico... Ele falava no recebimento integral dos Proventos que foram arbitrados para “baixo” em termos de Dividendos aos defuntos da Classe de Enfermeiros... E não da exclusão do Direito Sucessório; e Súmulas para isto... É Cambalacho! Fogo de monturo inimigo.




Vem mais!
Até que me respeitem como vos respeito

Dr. Ademar Raimundo de Barros.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Exclusividade

Exclusividade


Sim!
É pré da OI
O melhor para falar
E se comunicar
Enquanto o Sininho azucrina-se,
Não é?
E isto é tão comum
Quando a Liberdade é fictícia
E isto é mais comum
Aonde a notícia doe
E fere a arrogância dos instintos recessivos
Quando a concordância debate-se em vão com o mimetismo
E a Prosopopeia vem
Tentar minimizar os ânimos exaltados
Nos cântaros iluminados
Destas Paródias velhas;
Então somente tenham razões
Aqueles que contestam tanto
Ramehda I, e II
E... Ramehda III
OK! My Boy
Thank you very much… Afonso; digo Daniel
Oi! Digo Sabino
What if I can see inside my poor Portinglês;
Os Estados Unidos
A China
A Rússia
A França
O Canadá
A Malásia
E outras, e outras, e outras;
Visualizações Internacionais...
Oi! What I have to do?
Quando penso assim…
Deixai Sabino,
Daniel... Ou mesmo Afonso;
Que possam vir a mim as Criancinhas
Dos dezesseis
Até a Idade de Matus Zalém
Contanto que elas estejam cônscias, e conscientes;
E sem déficits de memória, ou de raciocínio,
Posto que todas elas ainda sejam
Filhos de Deus
Ou tenha amparo legal
Nos Estatutos ora existentes
E que possam acessar a OI,
A TIM! Sim!
Também a Vivo... É claro!
E a Claro possam também... Bem como outros aplicativos
Em Whatsapp
E se por acaso queiram vir a mim
Com outras quintilharias que do Ferro Velho
Possam fazer
Qualquer comunicação
Eu nunca poderei dispensar esses anômalos anônimos
Nem desastrolá-los para o desconhecido
Com seus Nets e Notebooks
Com seus Tablets sempre “suspeitos”
Vindos da Pirataria dos negócios
Para livrá-los do Ócio
E integrá-los
Aos Elos de interação
Desta geração moderna, e informatizada.
Nesta Tecnologia de Sistemas
Que se não for de Ponta
Deva ser das Cabeças
Amparadas pelos Estatutos
Da Infância
Da Adolescência
E dos Idosos;
Esses Usuários diferenciados
Soltos, e Libertos,
Nestas Ondas Eletromagnéticas
Que vageiam nas Cristas de longas Ondas

E transitam em permeio de Fibras Ópticas


                                                             Dr. Ademar Raimundo de Barros.


Comentários do Autor: Isto fica restrito a aqueles que realmente possam compreender; se compreendam. Pois não há mais inocentes no Mundo; e tanto você: Daniel, Afonso, ou Sabino; sabem perfeitamente bem do que estou falando, a não ser que pensem que por minha naturalidade Nordestina, eu venha ser protótipo de “Burro-jumento”; aí é onde vocês cometem o engano: de ficar a badalar um Sino, e cometendo erros atrás de erros, nesta função assumida de serem semelhantes aos Vírus; como agregados devotos da Contrainformação neste processo de múltipla escolha daquilo que deva, ou não deva (por que afira quem) ser divulgado.
Poeta! Não é esta, a minha formação; e Escritor... Tão pouco. Nem tenho a pretensão de ser eternizado: por que eu próprio questionaria, pois não vejo motivos para isto, e escrevo por gozação (quando me incomodam).
Mas posso escrever com convicção quando me provocam, quando me perseguem, quando me negam o Direito, e o Direito de outros, pobres que nem eu; e vos digo... E daí? E vos pergunto mais... Por que censuram? E vos instigo mais... Por que não prendem-me? Se encontrem razões. As prisões foram feitas para homens, e não para aqueles que não teem vergonha; para aqueles que pelos seus próprios instintos pervertidos não tenham mais condições de Sociabilidade. E nesta caminhada eu andei fustigando o “rabo” dos Daïmons preferidos, prediletos, respeitáveis, alguns intocáveis até... Não! Como o Juiz e a Blitz, pois isto é com a TV Globo de Televisão que faz parte da Mídia... Não como o Juiz e as Aerolines, e Aeroviários, nem Controladores de Vôos... Isto é também de responsabilidade da TV Globo.
Mas questionei... Conselhos de Medicina (inclusive o Federal), DETRAN/RO, e Credenciada, Tribunal de Justiça em Primeira Instância, e STJ na Súmula que defende a Previdência Social do Estado de Rondônia, e Poetizei... Os Cínicos disseram sim (aos Médicos): pois os senhores Meritíssimos Ministros da PRIMEIRA Turma do Superior Tribunal de Justiça por unanimidade erraram na aplicação da Súmula 182/STJ POR DESCONHECER DA Apelação Cível 01.002435-2 da Primeira Vara da Fazenda Pública de Porto Velho/RO; QUE DEFENDIDA pela Advogada Flávia do Nascimento Oliveira (OAB/RO 1.233) E OUTROS, TINHA COMO MÉRITO A ISONOMIA DO PAGAMENTO DE PROVENTOS NA INTEGRIDADE SALARIAL PAGA EM DIREITO SUCESSÓRIO ADQUIRIDO, E DECIDIDO A MEU FAVOR PELO RELATOR MINISTRO CARLOS AYRES BRITO EM 29 DE Setembro de 2004: e vos digo não! QUANDO NÃO CONSIDERAM INCLUSIVE UMA DECISÃO ANTERIOR DECIDIDA PELO PRÓPRIO Supremo Tribunal de Justiça que pertencem; como  da mesma forma que estou questionando o Direito de Igualdade, apresentando provas Contraditórias escondidas, mas que a vaidade de alguém as colocou em minhas mãos; e somente tomei a decisão de publicá-las por que consegui perceber que a grande maioria da Advocacia Brasileira: em nome da ética; nega-se a combatividade exigida em qualquer Processo: quando na causa discutida possa previamente existir os famosos Conflitos de Jurisprudência; e a minha consciência diz... Vai! E briga! A coerência fala por nós dois.
Sem mais
E ao Som...




Dr. Ademar Raimundo de Barros.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Cântaro Iluminado.

Cântaro Iluminado.


É triste no Café da manhã
Ligar o Televisor
E ver a xícara quebrar
Fazendo... “PRAC”
Como se estivéssemos ouvindo:
Plano de retenção anônomala de um crescimento
Mas para não engasgar-se logo cedo
Convenhamos que ouvíssemos:
Para refazer acréscimos “comedidos”
Mas se ouvíssemos... PAC
Mais ameno
Como fala um Gay ensimesmado na fissura
Pronto!
Acabou-se!
Cara!
Não vês que nosso amor
Parou após a Copa
Agora... Para! Amor!
Conheça, e reconheças... Plac!
Como um bofete na Cara
E não pagarei mais aquelas contas... Cara! Ah! Se eu pudesse apostar em qual montaria que viesse ganhar esta disputa; e na Cara de Pau zombar dos Cavalos de Raças Haras, ou das Mangas Largas (tanto faz), pois todos são uns Filhos de Deus e outros; Filhos da Santa. E o quê fazer? Se todos querem ver a Glória brilhar nos Olhos dos Zombetas, e Picaretas desta Terra... YAHOO! Brasil! E já lhes disse... Nada de Crucifixo... Eu sou Mutante.
Não baste!
Andei ouvindo aqui
Pelas Alcovas
Sussurros de Poetas em Verso e Trovas
Que pra Joaquim não sei
Francisco, ou Barbosa;
Que está no dia-dia destes juízes
Que seguem a natureza das diretrizes
O obsequioso veto obrigatório
Do exercício da Advocacia genuína
Para quem deteve algum Juízo
E o que será quê será
Por que não tem sentido
E se houver? O que será da intimidade dos úteis, e inúteis,
Nas sombras desses enigmas atrás das Torres
Dos Tratos, e Distratos de Tratados,
E dos Faraós que “construí”
Quando a minha própria consciência diz:
I, II, III... Ramedha perdeu a causa
E o que eu possa fazer
Quando até! Rhamisés e todo seu Poder;
Perdeu para Moisés
Que era a Lei
Mas quando a Lei era em resumo assim...
Amar a Deus sobre todas as coisas
Mas alguém censurou
Não sobre as minhas
Guardai os Sábados, Domingos, e feriados;
Mas alguém exclamou... YAHOO!
Honrarás teu Pai e tua Mãe
Mas alguém replicou;
Qual Mãe? Qual Pai? Os dois são quase Alzheimer
Qual Pai?
Nasci num Cabaré... Somam-se tantos
Qual Mãe? Que; se era Santa sumiu!
E eu vivi nas Ruas
Com minha sorte Mingau
Não matarás!
E alguém se revoltou:
Por que razão aquele que matasse Caim
Seria Sete vezes vingado?
Sem falar em Lameque que bradou
Ada! Zilá!
Matei um varão que me feriu, e um jovem que me pisou;
E quem se vingar será vingado
Setenta vezes Sete... Por que se vingou...
Princípio das Delações premiadas
E não citem seu nome em vão,
Pois as Premiações são escolhidas... Está “pesado”? Mexo com os Brios da Lei, ou das Igrejas? Ou com o Brilho das Bíblias? Ou com o nome de Deus? Ou das Religiões? Não! Não é esta a minha intensão... Mexo com o “BRILHO” dos Homens...
Não pecarás contra a Castidade
São princípios Paulinos
Apanágios de Lésbicas e Gays
Que Jesus em Tréplica respondeu... Fica para quem compreenda
Uns! Fizeram-se assim
Outros foram contra a sua vontade, e pela escravidão... Feitos
Muitos foram Eugênios
E tantos que se fizeram fascinados pelos Céus
Mas são Filhos de Deus... Shalon!
Não roubarás
Mas se pergunta o quê?
O Galo, ou a Galinha,
O Gatinho da vizinha para fazerem espetos,
E matarem a fome,
E quando a seca chegar
Roubar para matar a sede
E não se fazer reféns
E não extorquir ninguém
Nem fazer nenhuma apologia ao Latrocínio
Como as Autarquias o fazem
Na corrupção dos costumes
Na subversão da ordem
E na desmoralização das Instituições Estatutárias
Não levantarás falsos testemunhos
Como fizeram a mim
Por questionar; Conselhos e Sistemas,
E por essas razões
Fui apostasiado do próprio Direito
Líquido! E Cristalino.
Pois envolvidos calaram-se
E Meritíssimos me iludem com apócrifas Súmulas
Cercadas de unanimidades fictícias
Aonde sem “méritos” alegam
A falta de combatividade de outras partes
Confusas!
Sem saber o que venham fazer
Quando por subserviência
Essas Iminências pardas... Os impedem
E a Ordem de Advogados do Brasil... Dá-lhes suporte
Num jogo ilógico
Aonde a Ética vem como revide
Como revanche
E diz-se independente... Era costume
Hoje! Já não mais, pois fugaz... Sempre serão os Estatutos
Em defesa do Corporativismo das Classes
Quando tornou-se costumaz o rito:
Tem que ser domado
Tem que ser fichado
Carimbado
Comedido
Concordato
Ser inscrito
E isto se aprovado nas Provas do Conselho
E custe o que custar,
Pois não adianta navegar noutra Maré
Nem tão pouco singrar por outros Mares
Não desejarás a Mulher do teu próximo,
Nem as coisas alheias
Mas eu sou o Sino
E desejo o silêncio,
Na Diáspora, e na Cisma, pois...
Que diferença faça para nós... O Êxodo
Quando o Estado preza os apocalípticos
Pois se justificam assim... São os sinais dos Tempos
É Bíblico a redesignação
E a resignação um bom exemplo de ser
Escravo por especulação
Sem Teto por devoção
Sem Terra... Por algum Tempo
Até que chegue a desapropriação em Ulti Posse e Date
Mas não julgarás
Pois nunca mais terás a Madalena a teus Pés
E Zebedeu será até capaz
De protagonizar a insensatez dos próprios contra os mesmos
A luta de vocês... Contra vocês
Sem mais
Do Sheik que mais vos preza, e que vos diz...
Que os Deuses estão em todos os lugares
Como Ondas de Raios
Como Ondas de Luz
Ha! Ha! Ha!
E em 13 de Maio a Lei áurea,
E na Cova da Iria
E um dia depois [Semi nús [à fiesta
Dos Gatos máfiosos de;
Gestos, Traços, e de requintes “finos”;
Enquanto logo abaixo... Pestes em protestos por maltratos

                    Rameda Odinuminar Ed Sorrab.


Comentários do Autor: Muito pouco a dizer após esta Generalização universal diferenciada; e apenas espero; que seja, ou que venha; chegar ao conhecimento do Supremo Tribunal Federal as partes das Partituras que ficaram aqui retidas por desdém, mas foi assim: como as Nuvens de Lama; que quase enlouqueci pelo Fanatismo dominante; pelo Vandalismo que não quis; pela impunidade das causas; pela protelação dos Processos; e pela barreira de proteção do Corporativismo doentio: aonde eu poderia dizer; assim nasceu a Corrupção dos costumes; uma coisinha aqui; um pedacinho lá; um “ajeitado aqui”; um ‘Faz de contas cá”; e nasceram os Corruptos, Corruptores, e Corruptivos: e eu não acredito que a Jurisprudência que em Vênia mantém os Acórdãos que levem uma minoria a beneficiar-se com Acúmulo de Encargos no Estado, possa se sobrepor a uma maioria que receberam o Veto da mesma Lei, e o Direito Constitucional que diz; todos são iguais perante a Lei seja esquecido. E vilipendiado pela própria Lei, no uso de artifícios protecionistas... Leiam (em The Case Ramehda I, II, e III; nos Desastrolados do Desconhecido, e nos Anônimos da Poesia e da Arte), e observem as decisões tomadas pela mesma Casa de Justiça; aonde encontro respaldo Legal para justificar a denúncia e comprovadamente provar o Contraditório; e desta forma poder me colocar perante a Justiça para ser julgado sob a acusação de Calúnia ou Difamação, ou Desrespeito a Autoridade de qualquer Meritíssimo que possa melindrar-se pelo teor da matéria, ou que esteja incitando as massas por sensacionalismo para ganhar vantagens no meu julgamento. Não! Pois já recebi pancadas demais e na base de...
E se tiver que ser assim... Será
Como sempre será
Por que o Tempo não para
E a ansiedade determina a dimensão da Pressa,
Pois a dita coerência possa vir,
No toque de... AVÔHAI!




Sem mais

Dr. Ademar Raimundo de Barros.