sábado, 28 de fevereiro de 2015

Feliz aniversário... Espelho meu!

Feliz aniversário... Espelho meu!



Realmente fez um Ano
Que eu mesmo imaginei
Que do Epitálamo ao Concretismo
Seria!
Em mi punto de La exihibicon;
Meu único, e último... Conto
Mas pensem bem
Eu fiquei perdido no Tempo
Desde muito antes do tempo de Delmiro
E minha Memória Nordestina... Ah! Schneider
Virou Ave de raros “refinos”
E por Santo Antônio de Jesus!
Quase pirei;
Em Soneto que fiz para um amigo,
Pois nos Silogismos que me cercam
No “sêbo” cultural destas controvérsias;
Virei... Vigário Geral
E cheguei a ser... Je suis Carlie,
Mas contra afirmei
Nesta Pantologia Poética tão sincera;
Que os “Pingos nos is”
Estavam nas introspecções dos acontecimentos
Continuarei amanhã... Tudo Bem!

Mas no dia que se seguiu... Next Day!
Belo! Como nunca foram outros antes
Oito Horas da manhã de Fevereiro de Dois Mil e Quinze
Roda! Rola! Dança! Zanza a Estatística... E finge
Zero... Visão Geral!
Estados Unidos...2
1... Para a Alemanha, Indonésia, Romênia, e Portugal;
Para Postagem Dia;
Indesejável Porre!
Eles! Perdidos no Tempo;
E eu neste espaço que não cola a Nota:
Nenhuma Estatística ainda,
E verifique mais tarde
Ou te vira nos Trinta se for interessante
E pergunto-vos;
Já viram alguma Poesia como esta?
Já viram a diferença entre;
Interesse, ou interessa?
São essas diferenças que me importam,
Pois bem cedo da Noite
A Estatística mostrava-me outra face:
Empate atípico!
Indonésia... 1! Brasil da mesma forma... 1.
Sumiu! Os Estados Unidos das Américas, e os outros,
Não por minha exclusiva vontade
Luze o Chrome
E a Operacional Linux... Neste instante,
Mas me contento mesmo neste Blefe
Que faz luzir a Diplomacia Internacional por consequente;
Indesejável Porre!
Presente no Pódium; E... De olho no Pit Stop,
O que me faz voltar
Bem antes que tudo acabe,
Pois amo o existencial
E vivo exclusivamente da realidade...
Sem mais... Dr. Ademar Raimundo de Barros.
Conclusões do Autor: Não gosto de discutir o indiscutível; nem tão pouco tentar palpar aquilo que indiscutivelmente é invisível, tampar o Sol com as Mãos, viver sobre as Nuvens, e levitar; sobre sombras, e dúvidas; ou fingir-se que seja indiferente: mesmo que a transparência dos fatos chame a atenção do menor sinal de lucidez que ainda nos reste, seja bem maior do que a evidência dos fatos.
Não é necessário que se seja um Paranormal para compreender as coisas abstratas: ou se encantar com as coisas fictícias; ou se embriagar com detalhes ilusórios: ou deixar-se levar por alucinações supersticiosas, e adentrar no mundo fictício fugindo das razões; para uma convivência doentia com o surrealismo que circunstancialmente possa ser a força motriz: da inteligência ímpar de um Artista, mas manipular com dados aleatórios é ilusionismo.
Entramos no tempo das perspectivas, quando o tempo das conjectura-se; esgotou-se: e agora vivemos em busca da colheita dos frutos em superávits, quando esperamos que tudo venha crescer, expandir; e eu vos pergunto... Para onde? Para qual lugar do Mundo deva-se concentrar todo o esforço da exportação que lhe transforme o depositário fiel de todas as riquezas, e poderes que existem? E tem mais! Com o empobrecimento Geral das outras, ou demais. Eu sou muito franco... Isto não existe! O Feijão é meu! O Arroz é meu! A Soja também é minha, e a Cachaça por aqui tem mais valor. As Exportações são minhas! O Petróleo é meu! E a Tecnologia de Ponta é somente minha... As outras em desuso, e já testadas; senão obsoletas por aqui! Serão as tuas, e as Turbinas: aquelas que no passado nos serviam (mas não nos servem mais), nunca serão Sucateadas: serão colocadas a disposição daqueles que sonham com o desenvolvimento; e vendidas em “Suávidas” prestações à custo do Suor, do Sangue, e do Sofrimento daquela Gente com exceção para aqueles que sabem lidar com o Dólar, Euro, Libra, ou o Ouro; e para aqueles acostumados com o sobe e desce das Bolsas de Valores: o que comercialmente nos impede destiná-los como fies herdeiros do Lixo Atômico produzido; pois o que se há de fazer; se eles não sabem sequer ADIVINHAR OXENTE! O Presidente que nós queríamos... Justamente aquele! Que já estava acostumado. E enquadrado; nos Quadrados dos nossos Quadrados, e foram logo mexer nos “Perfumes” oriundos de todos os Hidrocarbonetos... Alcanos, Alcinos, Alcenos; Butano, e Meteno; Álcoois: primários, secundários, e terciários; Óleos: Oleicos, e Linolênicos; Benzênicos, e outros produtos Saturados e insaturados; Nitro Glicerinados ou parecidos: e ainda bem! Esqueceram-se do; Urânio; Plutônio; Césio, Bário... E outros graças a Deus... “Desconhecidos”.
E é esta, a única realidade que nos resta;
O estrago da PETROBRAS
As Obras inacabadas da Copa Do Mundo
As Obras futuramente inacabadas dos Jogos Olímpicos
A “Falência” das Empreiteiras
Que basta mudar o Nome, ou Razão Social,
Pois amanhá estarão na Diretoria do Pré Sal
Algumas Prisões Domiciliares
O Impeachment da Dilma
Mas a Cúpula já diz... Não vale a Pena,
Só Revolução,
Pois na Eleição do Vice... Diz a Constituição
Também é Pétrea
Vice não Governa,
E sua responsabilidade é interina
O desmonte do “BRICs”... Outra Contenda
É tão lamentável, mas lamenta-se
A volta imediata daquela dança, A... Dos Ratos
O miado dos Gatos
Deixar o Leão Faminto
Abrir todos os Portos
A todos, e a tudo
E “alcochambrar” às inspeções inoportunas
Fingir seja uma norma de rotina,
Seguida de orientações:
- Amor! Isto viceia, ou vicia;
E faz muito mal a Saúde,
Mas use, ou abuse... Com moderação
Vender não pode...
Depende do Jeito... Cê q sabe!
Desarmar as Polícias
Vê! E não Ver
Ouvir...  E Calar
Arrecadar menos impostos,
Isentando aqueles ‘impostos’ aos Ricos
Considerar que Pobres
Sempre reencarnarão na Pobreza
Que a riqueza será sempre um designo Divino
Que dê a César, o que for de César
Roubar! Matar! Sempre se considere... Livre é o arbítrio
E que Deus
Há muitos Milênios já escolheu,
Quem deverá morar... No Paraíso;
A não ser que as Oposições Religiosas... Manifestem-se
Não! Não! E não!
Pobre de Mateus...
E eu nem falei... Mataus... Mas constatei,
Que a Fenomenologia da palavra é... Apocalíptica
E que Matussalém agora é Paradigma,
Não é!
Confirma-se a lenda
Que nem sempre a vida será tão longa
Mas ressuscita Mandela!
E vem trazer a tua sabedoria para esta nossa Terra
Para que ela venha ser ser de novo
Verde e Amarela
Azul da Cor do Mar
E Branca! A Cor que a Paz inspira.




Sem mais ( embora ainda falte tanta coisa)... Dr. Ademar Raimundo de Barros... Católico – Evangélico – Umbandista – Muçulmano – Deísta, e Ateu... Por uns instantes; mas de repente devota a Corrente de Ramathis com o Pseudônimo... Ramehda Odnumiar Ed Sorrab.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

The Case Ramehda III

The Case Ramehda III

 

E pouco me importa

Como se nada me valesse a pena

Como se nada a temer, possa eu ter, ou tenha;

Como se fosse o Fogo

Ou mesmo fosse a Lenha

Como se encaixam bem... A Morte, e a Mortalha;

“Como se dão tão bem”... O Bem próximo ao Mal

Nestes trocadilhos de Palavras

Duras! Em Agravos

Ávidas! Nesta ansiedade de apelos

De quem discorda e luta

Mesmo que não tenha amplo... O Conhecimento

Mesmo que sejam vãs... As Esperanças

Mesmo que exaustivo for

Deus! Dará forças

E por mais sutil que seja a farsa

Por mais ignomínia seja a prensa

Nada impeça

Que para as desavenças eu diga... Despienda-se

Não é Matéria preclusa

Pois diz a Lei

Que contra Fatos

Os Argumentos são peças mortas

Nos Autos de quaisquer Processos

E válido é o Reagravo em Apelo

Quando o somatório de Súmulas... São abusos

E que não há razões que me convençam

Que foram dadas as vistas

Nestes detalhes amiúdes

Que não me iludem... Pois não são Ilusões

São veracidades

Na contemplação daquilo que eu vejo

Tão claro!

Não fosco!

Ao ponto do absurdo sorrir

Da incoerência de quem não quer ver

E se dizer ser... Inatacado

Fiel escudo

Deste corporativismo exacerbado

Aonde a Ética é maior

Do que a imensidão dos Oceanos

E que das verdades, amanhã... Farão Arquivos

“Mentiras” que o próprio tempo esconde,

E que o tempo leva

E só depois da morte alguém possa dizer... Foi lamentável

Infelizmente foi,

Mas quem virá desfazer

O que foi feito?

A não ser dizer... Era Direito sim! Era Direito;

Mas que prescreveu

Morreu no tempo,

Pois Protocolar se fez:

Protelatório

Maleta “preta”; e pronto!

Olhos da Cara

Livro “Caveirinha”; e eu... Canalha

Mas quando impus recursos... Covardias!

Mas se aceitado a subserviência... Era Gavinha,

E hoje! Em compensação seria;

Unha de Gato

Dedo do Cão

Hera! Planta trepadeira que se gruda

Musgo que se impregna nestas Pedras,

Nestas Rochas de Corais e Arrecifes,

E que enfrenta o Mar revolto; e altas Ondas quebram...

Que veem lamber depois nas Praias; a Areia,

Lavar algumas Mãos

Beijar todos os Pés

Dos quais a Lama suja... Pra seu Bem.

 

                                       Dr. Ademar Raimundo de Barros.

Comentários do Autor: Meus amigos! Foi um prazer imenso “conhecer” vocês. Mas quando o meu Visor avisa: que haverá modificações na Cibernética, e que serão abertas novas escolas para o direito; prefiro sair e me destinar para Alcântara no Maranhão, por que ao que me parece, quê eu estando lá, esteja mais perto das Estrelas. Não quero ser Monitor lá em Pasárgada, pois lá não vou encontrar a minha Mulher amada: ela fica aqui na Terrinha do Bom Deus; e eu ficarei no ponto aonde os Spins teem uma enorme atração pelos movimentos de Rotação da Terra: aonde a Ionosfera engana a Gravidade, e o Nitrogênio (este impulsor de Energia Atômica), ganhou um amigo a mais: que por coincidência... É; ““ Anônimo ““ ainda: mas deixo para vistos de vocês alguns elementos em minha defesa, e juro! Êles não são Atômicos, e não vão contaminar ninguém pela Radiação Se... Forem vistos... Ei-los!












Nota: Existe inúmeros exames Radiológicos e Tomográficos: que confirmam a recidiva da Tuberculose Broncogênica, como da mesma forma: fotos do Eritema Nodoso em Recidiva de Hansen (ver poema no Blogger: Desastrolados do Desconhecido: "Anamnese") e outras situações conflitantes postadas em versos e prosas deste autor em Anônimos da Poesia e da Arte, e Desastrolados do Desconhecido, e jamais! Ciente dos prognósticos destas Patologias com características Auto-Imunes; eu  teria feito alguma opção entre um emprego ou outro: pela minha Seguridade Social; pela minha Mulher, e pelos meus três Filhos ainda em idade pré púbere; e ciente da compatibilidade de horários... Sem mais:

Dr. Ademar Raimundo de Barros.     







quarta-feira, 29 de outubro de 2014

The Case Ramehda II

The Case Ramehda II


Em Da Vinci busquei a inspiração
De escrever em codificação... Meu próprio nome
Com a Letra H
Foneticamente Muda
E satirizar,
Pois os “Mudos” pensam não poder falar
Da mesma forma que pensam
Que “Surdos” não devem ouvir
Que “Cegos” não podem ver
E que “Paraplégicos” não andem
Ou que toda visão
Nada mais seja do que... Uma ilusão óptica
E não se possa levar em consideração
As Legislações motivoativas
Constantes em Lei
E nas Autosuperações individuais
Estas realidades existências
Que Deus proveu ao Homem
Na relatividade dos Impérios dos Sentidos
Quando até um Cego possa ler
Com suas próprias mãos
E que os Mudos sempre se comunicarão  
Com os Olhos
Com a leitural Labial
E com estes gestos precisos
Vindos de uma consciência Mímica incontestável
E de uma realidade viva, e indiscutível,
O que será o suficiente para que os “surdos” compreendam
Nos traços da Fisionomia que implora
Na própria Antropologia posta a vistas
Na sua Cor
Na sua Naturalidade
Na sua Índole
Na sua própria origem Social
No âmbito de sua própria dependência Econômica
Exposta!
Na origem dos Fatos
No histórico dos Autos
E no questionário das Verdades incontidas,
Em meio das Pantomínias
E das Pantologias dos Processos,
Mas que venham excluir
Aquilo que foi imposto como Ignomínia
Na falsa interpretação
De infalibilidade de Jurisprudências,
Pois os Deuses não erram
Apenas vez em quando; Se... Conflitam.

                                   Dr. Ademar Raimundo de Barros.








Na continuidade deste Seriado interessante; demonstrarei outros atenuantes que Agravam as decisões assumidas, e que justificam o Desagravo com uma proeminência indiscutível no âmbito do Direito Trabalhista (independente da condição de Estatutário), aonde deixarei por exposto Documentos  Médicos que foram indeferidos, e documentações Médicas que não foram consideradas; nem vistas ou compreendidas no STJ, pois não posso pagar por falta de combativide defesa que por uma questão de ética ou de Logística: não possa ele, pois algo lhe impeça: a amplitude do exercício da sua profissão, nos ade Advocatícia: a não ser que exista como Veto ao Advogado dcasos que existam... Conflitos de Jurisprudências.
Sem mais...
Dr. Ademar Raimundo de Barros.