terça-feira, 29 de julho de 2014

O Exorcismo dos “Eus”


O Exorcismo dos “Eus”


Não sei se valha a pena divulgar isto, pois na medida em que o meu pensamento gira nesta direção: a perplexidade me domina, e uma força maior pede que espere um pouco só; até que a realidade se sub estabeleça de uma forma marcante: aonde possamos realmente definir, o que de veracidade possa existir no Inferno imaginário, e na Divina Comédia arquitetada de priscas Eras; por Dante.
Seria mais ou menos assim...

Engraçado! O Mundo não mudou, e nem está mudando; ele é o mesmo do tempo dos “humanos” que falavam com Deus, e que duvidavam do sei Filho Cristo que inculcava sábios e sabidos em Aramaico puro: mas conversava educadamente nos desérticos com Demônios que seguiam seus passos sendo acompanhados de uma Legião de Anjos parecidos e iluminados tanto quanto ele próprio. E discordavam de conceitos de Direitos de Políticos de Políticas de considerações e de afetos. Discordavam de tudo e dos Princípios; discordavam do nada, ou do começo. Discordavam do Direito Mútuo e do Coletivismo exagerado: como discordavam do conhecimento amplo dos conhecimentos divididos; como discordavam de Deus Uno no Universo.
Eles não eram nem Brancos nem tão pouco Negros; nem eram Coloridos nem Vermelhos (A Humanidade conhece muito bem a Mística Rubro-Negra, que não é Flamengo nem Flamingo; Botafogo nisto), nem de suas narinas expeliam fogo, nem eram violentos eram calmos; pés de ‘panos’, comedidos, e amigos de muitos senão até de todos; nem o Rei fugia altivo aos seus assédios; ou eram contingentes invisíveis, mas que se materializavam em instantes, ou tomavam outro corpo como habítise: eram Diplomáticos e conheciam bem, e viam muito bem talvez até “mistérios”; e se não eram Deus; ou eram Astronautas dos Espaços; não tinham Rabos presos ou pendentes; nem “pingentes” que por adorar a quem, não precisava, e não nos mostravam dentes, nem a Morte; poucos ligavam a sorte; a minha, a tua, e não causavam medo; nem tinham Rabo ou Cauda, nem Tridente; nem se estrebuchava frente à gente; eram estes seres diferentes? Não! Materializavam-se em humanos, e tinham bem mais brilho; pois conversavam o Pai a convencer o Filho; eram apaixonados por Cristo... Daí! As Tentações; e não adianta contestar, pois eram verdadeiras Legiões de Anjos Celestiais sob o mando de Lúcifer o Satã Maior; eram Príncipes de (Luz) senão Princesas, na disputa das Trevas contra os Céus: na disputa do bem contra o Mal: na disputa do Espaço expansivo no qual Deus incluiu os Sóis, As Constelações, Galáxias e Estrelas, em harmonia Cósmica e Universal... Os “rabiscos” de Versos vêm Depois, pois estou em fase de construção, e a espera de autorização superior.
E não me levem a mal, pois existem enigmas que envolvem as discussões destas Leis Universais criadas pela criação Divina de Deus; e não devemos sem conhecimento de causa deliberadamente nos expor nestas exposições de motivos que possam envolver; Relatividade, Resgates e Reminiscências de vidas do passado; nem o Livre Arbítrio Bíblico; nem o Fado do Exorcismo (se não for fanatismo de alguns); nem as coisas a quem nos reserve o Silêncio.
Daí porque neste Cordel aberto onde tudo começou; devo-me manter em cautela para tudo que diga; e que deva excluir do conhecimento geral os conceitos de explosões das massas; e me ater apenas nos conceitos que eu possa ter o mínimo entendimento dos termos de um acordo que fiz; e para que não haja destrato de “contrato” de minha parte com a concórdia da Ordem; devo resguardar-me a sombra de uma nova Teoria; a da Expansão Eletrônica destes Infinitos que guardo dentro de mim.


Acordei atordoado após o sono pós Pandrial comum a todos “inativos”, pois a Comunidade Branca do Espaço onde estão inclusos os Espíritos afins (Solíderos e Sãos): aproveitando a minha Sesta com S, ou sem S, ou com C; porque não sei o certo: como na minha Ceia Santa que um dia a escrevi com S; e depois vi que poderia ser a mesma coisa, se a Seia é ruim, pois constatei: que tanto se faça como tanto fez: e confirmei como José do Egito: de que em sonho, os Traquinas, e Tranqueiras, são “meus Querubins”... Pois eles me deram a Senha. E a Senha Um Sonho; e no sonho eu tentava abrir à custa de “Machadadas” à cabeça de um homem de cor Mestiça, mais puxada a Negra; e para minha decepção; ele não estava Anestesiado, nem estava morto; ele me falava coisas desconexas: e diante de tal situação, eu vinha cair na sala de Cirurgia em prantos; e angustiado me acordei com minha esposa perguntando... O que é que você teve ou que tem?
Ora! Eu conheço muito bem a minha Aldeia: e sei de qual a Tribo quem é quem: e se o Senhor me diz; não faz por que não há ordenha; e que as Vacas estão tão magras, e secas vão morrer: o que deva fazer? Senão obedecer. E se o Senhor me diz: eu Fiz a Lei, e nela pus todos os princípios; não será, porém que eu haja de ser o seu executor; se a função de Carrasco não é minha; se apenas ditei... Não matarás! Não roubarais! Não cobiçarais as coisas alheias; nem deverás pregar o falso testemunho, e amarás teu Pai, tua Mãe, teus irmãos tão próximos de ti e outros que te acompanham; mais é teu dever amar primeiro a mim sobre todas as coisas que possam existir.
E O QUE EU POSSA DIZER DESSA “BAGUNÇA”... Guerra e Paz! E glória a Deus aos homens de “boa vontade”; e... Viva a Liberdade! Além dos ais; das dores e dos sofrimentos que se aproximam; quando não seremos mais os “Cordeiros de Deus”; seremos sim! Centelhas (de Luz) que virão brilhar neste campo Eletromagnético que virá cobrir estes meus Sete Céus de Estrelas: aonde as Nações querem “sorrir”.
Daí meus parabéns aos Anjos dos Confins! Aqueles “Caras Pintadas” de Vermelho, e olhos e sangue Azuis, que se vestem com cores da “Ternura” que vem atrás daquelas Nuvens de Poeira e Cinzas; e cada qual carregando uma Cruz, ora! Pois! De quem são as Bandeiras? Quem escreveu? Quem é que pôs aquele nome nelas? Eu Li! Eu vi! Reli; em cada delas constam... Expansões! Em nome das Políticas “Sociais”.
Será que seja que falei demais? A quem precise que eu diga sejam quem? Ou! Quem detém as razões? Quem será o infeliz assim penso comigo... E quem será “Feliz”? Eu entendo! Mas compreender assim como um; aliás! É só começo de um Tormento; só diz respeito a nós, somos os “instrumentos”, e Distrato de Tratado é coisa afim; e palavras por palavras, escondem erros... É muito difícil mesmo.
Sem ter mais a dizer
Porque não posso
Serão “meus ossos”
Ócios de outro Ofício
Sei que é difícil
Um tanto quanto caro
E mesmo escuro
Eu vejo tudo “claro”
Mas me contento ora! Não sou nada no Mundo.
Dr. Ademar Raimundo de Barros.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

É Fantástico

É Fantástico



É fantástico sim!
Esse show tridimensional e espetacular da vida
Nus! Espelhos meus
Que Deus me disse que neles habita
E quem será nos faça entender
Sejamos nós a nossa própria Igreja.
E eu que não queria mexer
Nos Sinos
Nos Símbolos
Nas Castas
Nos Púlpitos
Nem nos Sinédrios
E eu que não queria entender
Aonde anda o mistério
Aonde anda o Segredo
Aonde coloque as Cascas
Nem onde plante a Castanha
Nem instigar Deus contra Demônios
Nem jogar o Sol contra as Estrelas
Não! Isto não é tarefa que me caiba
Possa ser cabível noutras Faixas... Não na minha!
Vou buscar resposta na Montanha
Vasculhar Areia lá na Praia
Procurar na Teia a Aranha
Ou fundo estreito de Agulha
Que trance a trama das Nuvens
Ou pelo Raio que singre,
E rasgue o Véu do Arco-Íris
E eu encontre;
As orientações que sejam necessárias,
De outras Ordens.
Das Natas Primitivas do Princípio
Das Legiões de afetos esquecidos
De lá de onde provêm todas as Lágrimas
Na Fonte que gerou o Livre Arbítrio;
Ou prestidigite...
É fantástico! No verbo Apocalipse
No Presente do indicativo
Nas conjugações dos próximos futuros e passados
E nos Pretéritos e Particípios de expandir...
No Tempo que a Terra sangre
No Modo que o Vento sopre
Nos termos que a Folha caia
No “seco” que a Neve venha
Nas ondas dos pensamentos do momento,
No qual Deus nos diz;
Que Cristos nos pedem... Vênia

                               Dr. Ademar Raimundo de Barros.

Comentários do Autor: Eu prometi a um Poeta anônimo que iria divulgar o seu trabalho: dentro daquilo que combinamos até segunda ordem... A manutenção deste anonimato: e vos pergunto: poderão compreender como Poesia; este Cordel Filosofado a Luz do conhecimento de um não Iluminista? Eu considero este estilo de Poesia; e alguém poderia contra argumentar... Cadê o Lírico?
Dispienda-se! Para verdades pouca importa o Lírico que do anonimato vem assim... ENERGIA LIVRE É O AMOR, A ETERNA EXPANSÃO DE DEUS...



O povo vivendo na matéria descobre o conjunto de elementos que é a vida/ As atividades são desenvolvidas para atingir um objetivo/ Expressando-se em forma de energia e matéria no ambiente da Terra/ Saber agora que existe um sistema aberto ou fechado para a vida, é decisivo.
No sistema fechado ocorre apenas transferência de energia/ Consome grande quantidade de energia para a própria satisfação/ A reação libera calor, a variação de energia é negativa e é transferida,/ Está isolado do resto do Universo aquecendo o meio ambiente, da Terra com a reação.
O povo sabe que a tecnologia da Terra afeta a vida, tecidos, células e cromossomos,/ Toda tecnologia na Terra é baseada num sistema fechado para tudo consumir na ação/ Aprende agora a gerar consciência para Cristo no Coração que é o sistema aberto/ é o amor de Deus, a eterna expansão, com o aumento da frequência de vibração.
No sistema aberto o calor é absorvido, desta forma tem variação de energia positiva,/ Recebendo e liberando energia positiva não só na Terra, aumenta a frequência de vibração,/ Há a purificação dos elementos constitutivos da matéria/ A força de repulsão se torna maior do que a de coesão pronta para a expansão eletrônica.
Por isso que o Cristo em Jesus disse: o que macula o homem não é o que entra, mas que sai,/ Porque o que entra é a causa e o que é o efeito em toda ação/ Era a própria manifestação de Deus na terra falando de sistema aberto e fechado/ Dizia que o Cristo está em tudo e todos se referindo a Deus em todo coração.
Pela Lei da Relatividade sabe-se que se pode converter energia (luz) em matéria e vice-versa/ Quando a velocidade das partículas atômicas e subatômicas aumenta a sua velocidade/ Pela purificação dos elementos quando se aproximam da velocidade da luz/ A matéria começa a se expandir com nova intensidade.
Com a expansão da matéria, a luz que era atômica passa a ser energia eletrônica,/ E os elétrons, a centelha de Deus, que são liberados,/ Vão criando campos eletromagnéticos expandindo-se cada vez mais/ Sem velocidade, e distância a percorrer, o presente é o eterno agora, Deus manifestado.
Esta explicação baseada na Física é a mais pura verdade, de Deus é a eterna lei do amor,/ A eterna expansão de dentro para fora é o amor de Deus no Universo,/ É um sistema aberto onde se verificam trocas de energia positiva e harmônica/ Libera energia, aumenta a frequência de vibração, não é só efeito, um verso.
Todo esse processo é de Deus e sua lei do amor se manifestando/ O Ego Humano assume a eterna verdade de Deus, dá nome e diz que descobriu,/ Forma entidades, cria ídolos, fortalece instituições, assume tudo creado por Deus,/ Nunca diz que Deus é a vida, tudo faz alguns dos seus filhos dizem: que Deus ninguém viu.

... De um Poeta no anonimato. Vocês entenderam? E se não entenderam; entendi! É tanto que pude compartilhar com o mesmo nos Versos de... É Fantástico! Seguindo as “Ilusões e Sonhos” deste Poeta de Cordel Iluminado. E tanto ele, tanto quanto eu; somos membros de uma Escola denominada de... A Sociedade dos Poetas Mortos (Filme que já vi), aonde aprendemos... Deus nos concedeu a dádiva de ser: a sua imagem e a sua semelhança para sermos humanos: deu-nos a capacidade, e a inteligência de recriarmos a vida: e nos concedeu a graça maior, o conhecimento da sua “Engenharia” expansiva. Perguntem a Sócrates, a Platão, a Galileu; pois nem por isto será necessário consultar; Elias e Cristo; nem Josué, nem Elizeu, nem Maomé, nem Buda; e nem tão pouco a Salomão; David... E tudo está escrito nas Estrelas ou coisas assim... E olhas pros Céus e vês que nada é perto... E aqui na Terra; morde uma “rapadura” e vê que ela é doce, mas é muito dura de “doer”.

Sem mais, Dr. Ademar Raimundo de Barros.

domingo, 27 de julho de 2014

Conflitos Relativos da Fé

Conflitos Relativos da Fé


É para você Ariano Suassuna, esta dedicatória que em homenagem Póstuma lhe endereço: pelo que você representou,   representa, representará, para os demais seguimentos da Arte e Cultura, e Literatura Brasileira. Não há palavras que possam definir com exatidão, o legado Lendário de sua passagem na nossa história: e com muita honra agradeço demais aos Filhos do Bem, que te orientaram nesta caminhada nas Terras Raras dos contos verdadeiros: no espelho fiel que nos deixasse como herança em, O Pagador de Promessas.



Há quem possa aludir o conceito de Prestidigitação ao conteúdo, mas a “certeza” evidente dos fatos que hoje vivenciamos: dá-nos a clareza da tua capacidade, e a destreza de tua perspicácia como um Contador de Histórias, não de um Ilusionista. A tua arte não objetivava entreter o público dando uma ilusão de algo impossível ou sobrenatural que viesse a ocorrer: como se estivéssemos visualizando o fictício ou o mítico dos Filhos do Éden – Herdeiros de Atlântida, de Eduardo Spohr em, A Batalha do Apocalipse: que relativamente bem; poucos os de hoje, pela própria expansão das engrenagens das Informações: ficaram mais susceptíveis à compreensão; não! Como nos tempos de tua iniciática; e que por determinadas fontes talvez não estivesses sido censurado como Herege: por que não é muito fácil de falar de Deus, de se falar de Fé, de se falar de Igrejas; quando menor é o tempo do assédio implacável das censuras que possam cair sobre um homem só; só por que ele possa dizer... Eu sou um Cristo! Ou! Sou Deus; pois Cristo e Deus; eu os procuro, e encontro-os dentro de mim, e não nos infinitos dos Céus; ou quando vier morrer; e se salvo possa ser considerado; por estes Sistemas abertos e fechados: na amplitude que possa abrangir a sobrevivência Humana sob quaisquer pontos de vista; Ideológico, Político, Social, Econômico, Religioso, e outros: considerados nas predições Proféticas, preditos pecaminosos: quando focalizamos a Criminalidade na Comunidade dos Eus.
Parabéns! E uma feliz acolhida pela Comunidade Branca dos Céus: aonde Negros, e Brancos, e Mestiços; e todas as Raças Raras se confraternizam... Parabéns! Pelo retorno ao Mundo Espiritual: aonde com clareza possas ver a Luz e captá-la pra si, e refleti-la pra nós, e que sejas mais um a compor a Legião dos Guardiões de Deus que atentos estão a esta Terra nossa que também é tua; e a estes Céus que ninguém poderá dizer... Serão somente meus; a não ser: pela grande maioria iludida pelos falsos Falos, e pelos verdadeiros Arquétipos dos Eus: que nos apontam Deus no Infinito quando seu estado expansivo é aqui: e dentro de cada um de nós: na coordenação da nossa evolução para outros espaços mais desenvolvidos, e aí sim! Seremos Joaquins Franciscos Cristos sem distinção nenhuma dos demais: ou que seja o melhor; ou que esteja na relação dos “preferidos” para estes Paraísos que apontam; enganando aqueles que neles possam crer... Como eu acredito que mesmo em tempo de Paz: e que de causas naturais justifiquem a nossa transformação em Luz semelhante às luzes das estrelas; como se pressupõe que seja o espectro visível dos Espíritos; foi Deus! Que nos pôs na sua teia Fluídica de sabedoria, e saberá nos conduzir no mantra destes espaços expansivos, e ele; Glória Deus! O Esplendor Imperceptível que há de para a eternidade ser.
E como por princípio tenho a convicção que a nossa capacidade laborativa, e cognitiva; não venha sofrer a degenerescência da matéria densa que deixamos aqui: quando formos transformados na desmaterialização em espículas de Luzes de estrelas: deixo para a sua análise e reflexão estes fragmentos de Poema que um Poeta Anônimo me deixou no seu Cordel Linguístico: que para mim mais parece; Manoel Cristo e Joaquim Ego – um Capítulo Bíblico, não em Aramaico, mas em “Sertanejo”, e os Versos são os Versículos e vejamos a seguir:
Manoel Cristo enérgico e bondoso/ Disse isso é ilusão/ Porque no estado de chama da vida/ Não tem nenhuma visão.
Joaquim Ego ficou paralisado/ E desta forma ficou/ Foi aí que Manuel Cristo/ Neste momento aproveitou.
O estado da chama da vida no coração/ E cheio de paz e harmonia/ Não precisa ver, sonhar e ouvir nada/ Ele é o único amor, sabedoria e poder que irradia.
Isto é amor divino,/ Está em todo coração/ É esta a verdade que o Cristo em Jesus falou/ A vida, o Cristo, que ninguém dá a atenção.
Na Bíblia está escrito/ Que todos têm a mente do Cristo/ Mas ninguém lê e quando ler/ Não entende o que está escrito.
Todo pensamento da mente é a besta/ É para tirar a atenção;/ Pensa tudo que quer o dia todo/ Mas não pensa na chama da vida no coração.
Joaquim Ego ficou anestesiado/ Isto podemos chamar de eterização/ Todo mundo fala que tocou na alma/ É o mesmo que tocar na chama da vida no coração.
Joaquim Ego saiu de mansinho/ De todo lugar desviou/ Foi direto para casa/ Chegando em casa chorou...
Ele concluíra, e acabara em concordar com Manoel Cristo...
E Manoel Cristo disse parabéns/ É uma glória que Deus quer para todos e pra mim/ Vamos tirar esse sobrenome Ego/ Agora vou lhe chamar só de Joaquim.
Joaquim era um homem renovado/ Dizia agora Eu Sou um homem novo/ Embora andando no mundo velho/ Estou dentro do mundo novo.
Certo dia andando na rua,/ Encontrou seu antigo Pastor/ Dizendo o que houve Joaquim?/ Esqueceu nosso Louvor?
Joaquim disse: Eu sou Filho de Deus/ Cristo, a chama da vida no coração, é o amor/ Eu Sou a chama da vida em ação/ Este agora é meu louvor.
O Pastor disse cuidado, Joaquim,/ Você está cometendo pecado/ Nós somos criaturas de Deus/ Jesus disse: Deus seja louvado.
Joaquim disse você lê a Bíblia/ E parece que não leu/ Jesus em oração, dizia Pai Nosso/ Nunca disse o Pai é só meu.
Respeito às criaturas de Deus/ Que é um pequeno Rato/ Mas se você quiser ser criatura de Deus/ Pode escolher ser um Gato.
... No anonimato alguém se assina... Olhem bem!

São muitos Ariano! Nesta Antologia em Cordel aonde o Poeta deixa subentendida a sua escolha que é idêntica a minha... Sou a minha própria Igreja... Somos os corpos onde o Espírito de Deus deva habitar... E somamos estes Bilhões de Cristos propostos a se expandirem neste espaço de Terra que se expandirá. E teremos uma eternidade pela frente, para ver as razões semelhantes às mesmas que te inspiraram na criação de os todos os personagens que deram sustentação a uma de tuas Obras (e as outras); nesta Terra de Morte e Vida Severina, nesta Terra de: Deus e o Diabo na Terra do Sol, que nos levará até! A Guerra nas Estrelas, mas que ninguém esquecerá... João Grilo em, O Pagador de Promessas... Foi o começo... Nunca terá fim... Pois estavas já escrito nas estrelas, ou coisa assim...

Sem mais... Dr. Ademar Raimundo de Barros.


sábado, 26 de julho de 2014

Conceitos de Relatividade

Conceitos de Relatividade



Soletrem conosco, pois sei que não estou só; e independente dos avisos que avisam em meu Visor... De que os Arquivos inúteis chegam; eu gostaria demais de expandir a Luz desta Equação: E = mc2: um Cordel Filosofal cuja Pedra Fundamental operacionaliza-se nas composições de um Poeta Anônimo do qual vos apresento apenas “Fragmentos” de seus Versos escondidos dos Sistemas abertos, e fechados... Mais um dia assim a menos, ou; um dia assim a mais, a Besta brilha: enquanto a Sofia diz... Não há quem vença Deus!

Eu sou Cristo!
Corpo hoje denso amanhã... Luz
Tu és Cristo!
Humano como nós outros
Espírito como outros nós
E ele também é Cristo
Tão Cristo quanto Cristo foi
Diferente só, pois; Era Divino...
Mas divinos depois seremos
Neste Universo amplo e expansivo
De onde Elétrons virão
Após as explosões dos átomos
E estaremos com Deus o mesmo Cristo
Que sempre estiveram conosco
Enquanto falsos Falos apontavam-nos os Céus
Os Paraísos
Em nome de EUS
Quando somos os Cristos, e somos de Deus
E o campo Operacional é aqui
A transformação material e espiritual também aqui
E aqui veremos Deus seremos Cristo... Nunca! No infinito
Que nos indicam

Seremos um só!
Uno é o Pensamento
Que tentam dispersá-lo em Coletivos
Mas há que admitir-se no momento
Que a Equação de Einstein é mais uma razão
Pois tudo começou numa explosão
E na explosão a Luz
E não o Caus
E na Explosão o bem... E não o mal
E o Universo se fez
Deus assim quis
E dos destroços de explosões... Ele o refaz
Independente de Sistemas abertos que vislumbram
Ou de Sistemas fechados que abrumam a visão
Na ilusão de quem se alia a lista
Dos salvos
No Armagedom Final
E que eu possa dizer... Eu sou um Cristo
E que tu possas dizer... Sou também Cristo
E que possamos dizer... Somos os Cristos
Mas sem o Ego assumir... Somente eu!
E sem o Povo dizer... Somente os meus
Nem que ninguém aponte o bem aponte o mal...
Nem mesmo Deus.

                             Dr. Ademar Raimundo de Barros.

Comentários do Autor: Eu tive o prazer de conhecer um Anônimo autêntico, Deísta por convicção, natural de Souza- do alto Sertão da Paraíba “minha Terra”; Engenheiro Civil, e mestre na construção de Versos em Cordel: e que no anonimato usou e usa de prerrogativas próprias na divulgação de seu trabalho. Ele próprio distribui nos ambientes que frequenta, o seu Cordel Filosofal que eu considerei de Ouro; e tenho em minhas mãos, três Livretos de sua autoria para divulgação, mas dentro desta condição: o respeito ao seu anonimato, e me propus. Cristo e Sofia; personagens da batalha da alma rumo a perfeição; Joaquim Cristo, personagem de outra história; e, Manoel Cristo e Joaquim Ego que assim ele os personifica no intuito de divulgar o que ele detém como consciência, e como ideia: mas somente com apresentações de Fragmentos de seus Versos; tento acompanhá-lo nestes termos, pois ele escreve-os assim...
Vamos contar uma história/ Do Apocalipse e dos Judeus a Cabala/ Da Jida Islâmica do Alcorão e do Baghavad Gitã dos Hindus/ De Dez Bilhões de seres é uma sublime batalha.
Você pode dizer ufa! Que nomes difíceis/ Mas é uma história só da humanidade e de cada um,/ Trata-se da história da batalha da alma humana chamada Sofia/ E o Cristo, no coração de cada um.
O Cristo no coração é pleno de amor, sabedoria e poder,/ É a eterna fonte infinita da vida, força e riqueza,/ É a perfeição, sem atividades pecaminosas,/ Só doa Amor, a vida, na batalha só irradia luz e beleza.
Você pode não saber por que a alma humana se chama Sofia/ Mas na nova era tudo se explica e você vai saber/ Sofia significa sabedoria, descobre o que quer da vida,/ Essa é sua batalha na vida, da alma humana Sofia, e você vai conhecer.
É importante falar como foi criada a alma perfeita,/ Quando do Sol Deus-Pai-Mãe projetou/ Por meio de pensamentos e sentimentos a nossa Terra/ E todos os demais planetas do nosso sistema criou.
A origem da alma Sofia foi a partir da grande expansão solar/ Os átomos permanentes moviam-se de lá para cá/ Seguindo a ordem da Criação na atmosfera envolta na Luz Universal/ É o início da liberdade em que todos os elétrons podem se alegrar.
Os minúsculos elétrons alcançvam raios de luz que irradiavam/ De todos os seres que irradiam a luz da divina expansão/ Não conheciam qualquer obrigação ou responsabilidade/ Essa liberdade é concedida a qualquer Divina criação.
Esse ponto de luz é recolhido pelo Sol/ Atravessando as Doze esferas dos raios da divindade/ Na esfera que permanecer mais tempo se torna parte deste raio/ Torna-se parte integrante em suas futuras atividades.
... De um Poeta Anônimo.
E como tudo é relatividade; como é relatividade este instante: e quando Jacó pedir perdão a Isaú, ou relativamente Isaú lhe peça; pois tudo é reletivo nestas Bênçãos; pois possa que Elias/ Cristo apareçam, ou possa até que Maomé convença-os... Deixa pra lá! Pra QUÊ? Tantas desavenças! Cadê as Alianças amigas das Ideologias e das Crenças, se a Samaritana; Cristo perdou, e Deus considerou, pois faz parte da vida perdoar; por que perdoando é que podemos ser perdoados: quando teremos o ensejo de esquecer e evitar: as relações de causa e efeitos de todas as causas: e quem saiba Deus! Um dia unidos cantar o mesmo hino pelo menos Hava... Sem mais deste mixotipo Nordestino, e atípico ser portador de Nanismo Diplomático Genuino ou Hipofisário, franzino e Cabeçudo, mestiço de raras raças, e de Genética múltlipla induzida pela “raparigagem” desta vida que data de; Priscas Eras, Vênia! A data não! Dista do Tempo dos Homens das Cavernas... Mas posso pelo menos cantar...

Dr. Ademar Raimundo de Barros.