quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Na intimidade dos “Inúteis”

Na intimidade dos “Inúteis”




Realmente
Os Arquivos “inúteis” chegam meu Visor!
Senão a Filosofia perde a graça
E as atitudes ficam nas reflexões
Será que deva rebuscar as crenças
E Conhecer as coisas
E questionar
E se não for bem assim?
E eu ter que me calar
E me curvar
Pois me ative a crítica
Neste motivo ativo... Momento de crises
Úteis? Ou inúteis?
Em buscas de saídas... E indagarem
Por onde andará o Mito e as Cavernas?
Onde andarão os Bêbados das Tabernas
E o quê andaram sussurrando eles por aí?
Uma atitude filosófica imprópria?
Uma censura utópica, ou Ilusionista;
Ou pensam na ignomínia hipótese de uma exclusão
Ou que Nossa Senhora do Destino quis assim
E que desta forma seja
A nova definição Platônica da Filosofia
E que se defina assim
Inútil! É se erguer perante o pensamento único e sistemático
Inútil! É discordar da alternância imperativa dos Poderes
Pois todos querem
Ser líderes
Mesmo que sejam inúteis
E arrogantes... No exercício da Liberdade costumeira
Essa que deve imperar para sempre
Com os mesmos convives
Neste mesmo Trocadilho de confetes
Entre figurantes, e afins...
Pais e Filhos
Parentes, e Aderentes;
Ou quando não!
Netos e Bis Netos como sempre;
Os amigos dos Pobres
Dos humildes e Carentes...  
Dos fenotipicamente tidos “Fidos Didos”
Mas se é chegado à hora
Dos Pides que “nunca” pedem
Pois não lhes custa fingir se bem que “façam”
E disfarçadamente vêm “pedir”
Quando não usam a força da expressão das palavras
Ora! Te preparas
É tua a tua decisão
Porque é vaidade ser
Como se Serve-Sérvices
Quando aquele que paga “come”
Ou como... Eu quero ver quem pagará as contas amanhã
Mas sei... Não serei eu! Não serei eu! Não serei eu
E ai! Daqueles
“Úteis” ou inúteis
Que venham chamá-los de... Miseráveis!
Pois os Sistemas tremem
E as Alternâncias perdem para “inúteis”.
E realmente... Chega meu Visor!
Jamais terás as gracias de Las Autárquias Sistemáticas
Que de inutilidades fez seus Egos
Y sólo se ríen de La ignorancia de los demás
Para a sustentação dos interesses seus
Narcisos! Como sempre serão
E que a cada pensamento nosso gritam... Basta!
O que significa
Pressão Psicológica, e Coação...
Vindas de seus próprios instintos
E de seus ímpios arbítrios
Radicais livres por “unanimidade”
Mesmo que a corrupção corroa
E não ter satisfações a dar... Mesmo que erre
Mas há muitos anos atrás li um aviso grudado numa parede
Lá em Santo Amaro-SP
E para minha surpresa...
Vendem-se Atestados Médicos...
Há Meses atrás no TV
Vendem-se Jurisprudências Jurídicas
E lembrei-me logo da Jorgina
E lembrei-me logo do Lalau
E consegui juntar... Justiça e Previdência
E confundi... Direito e Esperança...
E magoei-me mais
Por que será pior meu amanhã
Porque postei
Nos Arquivos da Lei...
Por que alguém deliberadamente me entregou
As tais Jurisprudências
E para quê? Quando se diz respeito a quem
Senão somente a si,
Quando na condição de Advogado de outrém
Mas que para outros... Nada fez
Em nome deste Direto de Igualdade
E com as provas em mãos
E por vaidade... Entregues a mim
E eu aqui já que vou fazer Dez anos; e se não me engano...
A Causa... Perderei
Será mais uma a ficar... Nestes Arquivos...
Naqueles! Que dedei... I, II, e III
Sem que possa apelar
Ou Ter... Apêlo
E ver a própria “Lei”... Sorrir pra mim
E me chamar de Leso... Outra vez

                             Dr. Ademar Raimundo de Barros.

Vocês só poderiam entender a minha posição: se vocês adentrassem nos Anônimos da Poesia e da Arte, ou Desastrolados do Desconhecido: ou fossem rebuscar os detalhes amiúdes da minha vida: da qual abro mão para a reflexão dos sensatos. Permito-vos até a invasão da minha vida pessoal e privada; e se o assunto for Política e Ideologia, eu gostaria demais que fossem apresentados provas documentosas de minhas atividades subversivas nos Palcos e Cenários da Política Brasileira, no antes e após o Período Revolucionário: aonde pudessem documentar características minhas de ativista, ou militante de qualquer Facção Política ou Ideológica, pois a única coisa que vocês vão encontrar: é a minha Candidatura a Vice Prefeito Municipal de Costa Marques Rondônia: quando eu não quis a condição majoritária, e tendo como Bandeira Partidária: o Partido da Frente Liberal em, 1988.
Hoje sou o filiado “fajuto” do PT; pois não milito Política Partidária, sou muito grosso para isto, e não tenho a menor intenção pelo fanatismo Partidário seja de qualquer Partido Político, pois tudo é a mesma coisa, a mesma lenga-lenga, o mesmo; “me engana que gosto”, e o mesmo “Tiram gosto” onde a mentira confunde-se com as próprias mentiras, e ninguém será capaz de dizer... Vote em mim, mas saiba que não presto: ou seja, mais sincero assim... Vote em mim, por que pior não fica; e se ficar vos digo... Não foi por minha culpa.
Mas imaginem o Drama... Até a Seca trama contra Dilma; e se o “Velho Chico” secar? Como é que fica? Bom Prato! E o azar é dela. E imaginem a Pesquisa Eleitoral: em Minas Gerais a rejeição ao Filho da Terra é quase absoluta, e somando o Eleitorado de São Paulo que é Serra: aonde a Seca ronda; a rejeição é nota ou notória... E imaginem em Pernambuco: nem mesmo o Luto inflamou as massas; e como saber como Marina avança nas Pesquisas é outra coisa que não provém das massas: se o Acre é PT... Será que a Natureza “Sustentável” vença? O que dirão as Matas? A Amazônia seca ou inunda? Deus meu! Nem sei quê faça... O AGRO vira crença! E haja Gados! E a Flora vira Soja que agora avança... Insustentavelmente e desta vez... Cilos não suportam mais, e os dos outros Países estão cheios, e abarrotados até o Teto, e então fazer o quê? Senão baixar o preço, ou a Produção: e sem falar noutra revolução que vem como Chibatas... A revolta da Fauna... E que Deus nos livre, pois Dengue já rendeu demais; mais que Malária, nem sei se mais que a dita cuja... Febre Amarela; e ainda mais... A invasão das Cobras, Lagartos, Macacos, e outras Feras; e sem contar se o Vírus Ebola não vier: dos Pelos de uma Lebre linda, ágil! Felá e fula, e suja de fuligem das queimadas das estradas das Fronteiras; e transgênica em Gens, já com RNA em pedaços de Retro Vírus modificados, clínica atípica em termos, e irresponsíveis prognósticos, e cercado de pródomos duvidosos... Só! USA!USA!USA! O SOS mais próximo e adequado.
Mas a última Pesquisa Eleitoral deixou hiatos. E se Aécio perca no primeiro turno para Marina, ele ganhará de quem? E se Marina ganha do Aécio, ela ganhará de quem no segundo turno? Sempre haverá Dilma. Daí! Houve um furo na Pesquisa de Opinião Pública neste sentido: quando se omite o resultado em probabilidades deste confronto no primeiro e segundo turno entre os Candidatos: Aécio X Marina; ficando parecido até com acordos entre Compadres e Comadres... Vícios de Elites... Ócios (me desculpem) de Ofícios.
Perdoem-me... Serão agora Arquivos, e como inúteis devem ser... Tratados; Escondidos, “Cozinhados”; Banidos! Do conhecimento geral, e proibido... Não! Para este “louco” aqui; que dizem por aí... Não ter o mínimo de juízo, e “alienado” está por Depressão e Alcoolismo; é um mero “Drogadito” de Quimeras; e para completar sua sentença, ele é agora, aquele! Tabagista de priscas; Eras... E a OMS avisa... Fumar é prejudicial á saúde... E a Saúde alude... A Depressão dele não é Crônica, tão pouco Recorrente; e o Alcoolismo, e o Tabagismo dele; nunca serão Doenças; e sempre serão Vícios... Essa é a opinião de uma minoria da Medicina Brasileira... Quer mais! Procurem o CFM do Brasil, e a Mesa Diretora anterior do CRM/RO; a Souza Cruz e Cia não! Elas estão bem P da vida com a OMS, e o Tráfico Internacional de Drogas, Alhos, e Bugalhos, e Bagulhos... Pior ainda... É que estes andam de há muito tempo; enrolados, envolvidos, com Polícias, com Milícias, com Malandros, e Políticas, e Alfândegas; e outros “Baralhos” e “Barulhos”.
Mas os Vícios são Doenças, caros Esnobes Médicos! E bem diferentes de Tuberculose e Hanseníase, podendo, entretanto ser considerados fatores coadjuvantes como elementos minimizadores das Depressões Crônicas e Recorrente que já estão instaladas, ou que se instalam lamentavelmente como consequências...
E eu não tenho vergonha de dizer ao Brasil que contraí essas Doenças no exercício da minha profissão... Nem que me tratei das duas Afecções na Rede Pública de Saúde Via SUS; meu Santuário Médico; meu Oráculo do Bem... Agora! Excomungem-me! Pois nada se espera de alguns vindos de vocês.
Mas se a dúvida for imperativa: no tocante a Doenças adquiridas no Trabalho, provem o contraditório; bastam apenas Fotos ou Filmes, com hora, dia, mês e ano (para os mais exigentes; minutos e segundos), do exato momento em que vocês possam ter visualizado; os Bacilos de Hansen, os Bacilos de Koch, adentrarem no meu organismo fora do ambiente de trabalho, pois nem isto lhes dará o mérito de indeferir os Diagnósticos existentes.
Agora Esnobes! Vão lá ao Google e verifiquem o conteúdo de um trabalho Científico denominado: Ameaça Escondida de Autoria de, Sofia Mourtinho, e verifiquem que o passado ainda predomina quando o critério de Alta dos pacientes tratados de Tuberculose, ou de Hanseníase; era definido assim... Alta por Cura provável, mas em nome de uma Previdência Social quase falida: vocês esnobes querem impor o critério de cura definitiva; quando isto não condiz com a verdade... E viva a imbecilidade alternativa! Viva!

Sem mais...
Dr. Ademar Raimundo de Barros.




quarta-feira, 27 de agosto de 2014

As Sombras de um Enigma (Reedição)

As Sombras de um Enigma (Reedição)




Eu bem sei...
Até que ponto um homem anda... E seus passos
Sei distinguir... O verdadeiro, o falso.
E sei... Como a aranha e quando
Ela arruma a “teia”.

As Cobras eu sei sem vê
Quando arrumam o bote
Bem sei quem me tolera... E sei quem me rodeia
Basta olhar pros pés... E ver-se o Retrato
 Mas se olhar pro Rosto... A “Cara é feia”.


E sei... Quais unhas que arranham
E as que me querem ter
Mesmo as que fingem manhas
Mesmo as que dizem... “Amor!”.
É fotografar... A nitidez do raio
Que o céu rasgou por que chegou a vez
Sessenta e sete vezes... Eu tentei
Somente uma vez... Eu consegui
Por trás da escuridão, dentro das nuvens.
A explosão de tudo que pensei.




E parafraseando, ou como queiram admitir: “Plagiando”; este Ás de Ouro da Literatura Portuguesa: FERNANDO PESSOA... Sigo poetizando...


“Haja ou não Deuses, deles somos servos
Mas vale a pena quando a alma não é pequena
Pois tenho em mim todos os sonhos do mundo
E quero para mim, o espírito destas frases.

Pois não é somente necessário viver...
Também é necessário criar
E ouço o vento passar
E ouço o vento dizer

Valeu-mo a pena viver
Mesmo como vulgar
Pois querer não é poder... Por que se perde em querer
Quem nunca há de poder.

E logo eu... Que não conheço ou sinta alguma diferença
Entre quem mata quem dorme ou; quem sonha.
É como se houve-se matado uma criança
 Sicários! Alguém ficou de luto
Com a morte da auto expressão; que luta pra ser absoluta."
                                                                                             
Comentários do Autor Uma fotografia só! Serviu-me para modificar todo um contexto, e criteriosamente mudar (já que não fui feliz) em comentário efetuado anteriormente. A intempestividade às vezes nos conduz a polos distantes da realidade, mas valeu a pena: “O Raio” fotografado por: Maria Valda Mejia Noteno, que nos leva à meditação.
Quem foi que nasceu com a predestinação de ser... Um "Para Raio?
Quem teve a propensão de ser assim?
Quem poderá apiedar-se Senhora do Destino! Dos Raios que emanam do Poder, venham somente destinar-se a si?
Quem possa saber do dia de amanhã?
E amanhã! Onde estará meu pensamento?
E eu tão longe!
E eu tão distante!
Mas num instante... A minha alma devota está aqui.


                                       Ademar Raimundo de Barros.

domingo, 24 de agosto de 2014

Tratos, Distratos e “Tratados”

Tratos, Distratos e “Tratados”


Eu poderei escolher um Padrão
Ou não me definir por nenhum Navegador
O Mar não é meu
Os Céus são ilusões
E quem não singra nestas águas tão “serenas”
Voa para o Ar
Ou para a Estratosfera
Aonde a Gravidade é zero... Nem existe
Nada eu te prenda
Mão que agarra
E solto... Vivas
Ou então se enterra... És Terreno
A não ser que queira virar Cinzas
Porém prefiro acender as Velas
Ver a Cera escorrer e olhar... A cor que tenham elas
Vê-las acessas
Longe dos Ventos
Ou que Tempestades venham apagá-las
Pois cada uma delas... Querem vida.

Mas nada me custa apagar
O que já foi escrito
Pois o esquecimento vem quanto maior for...
Tanto a espera
Mas quem viver não esquecerá nunca!
E sempre quem foi será
Pois sua consciência não se compra
E nem se curva
As pressões psicológicas
Quando não tenha culpas

Mas para “minimizar”
Há uma condição que exijo...
A Revisão conscienciosa dos Processos em Arquivos
No âmbito dos Conselhos Médicos
Dos quais quero
A nulidade da Sindicância 0013/2010 – CREMERO
De Sindicante dissimulador
Bem como
A anulação de Decisão de Recurso
Pois o Relator era “Cego”
E Cego cegou o SEPRO
E toda a Diretoria do Conselho Federal de Medicina
Para beneficiar
Culpados denunciados
CRM/RO 1150, 307, 513, e 804;
E para salvar os “Santos”... Pois a “Pomba é Gira”
E gira solta “girou”
Dançou ao som de Wagner
CRM/RO 1093
Falou que viu... O “Anjo RAFAEL”
Vindo do Paraná... Abençoado! Vai meu Filho!
Mostrar que em Porto Velho não há Médicos
E ser produto de importação
Sem Inscrição aqui
E sem Licitação assina-se... CRM/RO 22218
E assina Laudo Pericial sem ver “o Réu”
E faz Consulta Ambulatorial
Sem ver a Vítima
Mas ele caiu dos Céus
Mesmo respaldado num Contrato Simulado
Tido as vistas
E se desmoralizou
Por que “melou” o quê... Melado já estava
Nestes Arquivos inúteis que meu Visor avisa
Bastam!
Mas para mim não bastam meu Visor!
Por ver... Que tudo isto é crime
Como é criminosa a minha demissão
E minha exclusão do Direito Sucessório do qual fui excluído
Sem que haja razões
Sem que tenha sentido
E basta lê o DOE/ N. 0943
De 26 de 02 de 2008...
Definitivamente incapaz para o serviço Ativo
Mas tudo foi mudado, e Indeferido;
Em desacordo a todos os preceitos Éticos
Em desrespeito a todos os procedimentos adotados
Por vários Médicos
Em desalinho total as Leis, e aos Estatutos.
E são por essas razões
Minha “mui amiga” do Espaço
Prefiro correr os riscos...
Que ditames de minha consciência e conhecimentos ditam
Em não jogar para meu inconsciente
Causas e consequências
Da minha vida física Psíquica
Da Psicanálise que me cerca
Da Jurisprudência que se cria
Na análise dos fatos que me atordoam
Na alienação social imposta
E ergo este véu
Desmascarando as máscaras
Que por Ideologia delirante
Que por mentalidade antagônica a minha
Mesmo desprovidas de razões
Confundiram o pensamento lógico
Nesta Paranóia sem sentidos
Símile aos Portadores de Personalidades Psicopáticas
Ou aos assolados por Histeria Atípica e Coletiva
Própria dos Processos Criminais
Que por perseguição gerou a saga
Sangue! Da Fenomenologia Metafísica

E não serei o único a perguntar... Senhora Dama
Conhece- te a ti?
Quando em Matrix
Neo! O conduzido por Morfeu
A ti se dirigiu assim...
És tu Mulher! A Sibila que vem receber este Oráculo?
Mas vê que não se trata de um;
São dois, são mais, são vários;
E sois quem vai receber todas as mensagens,
Quando algumas serão representações no Futuro
De acontecimentos do Passado
Vindo ampliar o campo da visão
Na reflexão de preceitos somáticos:
Dos paradoxos políticos
Do poder despótico
Dos vocabulários Demagogos
Dos problemas que a ética repudia
Da vida boa de alguns
Da miséria de tantos
Da origem da vida de Políticos e Políticas
E das finalidades das regras
Bem antes que Maquiavel
Identificasse o Ideal Republicano
Antes de... O Príncipe
O que deixou restar... Maquiavélicos e Maquiavelismo
E a ideia fixa
De uma Soberania Soberana
Num mundo desordenado
Aonde a Teoria Liberal “libera”... Ah! Deus meu!
Fosse isto a verdade
Quando o que predomina mais; é...
A Divisão do Estado
A ideia e o significado Patético das Revoluções
O discurso da Servidão Liberária
E a Liberdade de ter que acender
Uma Vela Pra Deus
Outra pro Diabo
Nas perspectivas propostas na prática Marquixista
A qual gerou as duas “Bandas”
Uma que Toca o Capitalismo nestas “Selvas de Pedras”
Outra que se encanta ao som do Comunismo
Nos Polos
Nos “Picos de Neves”
Nas Nuvens
E nos campos de gelo, e Desérticos;
Aonde há anos! Ideologias são propostas
Na Gênese da Sociedade e do Estado
E na Ideologia comum... Como de Praxis
Das quais resultaram
As experiências Totalitárias
Do Fascismo
Do Nazismo
Do Getulismo populista
Do Peronismo próprio do momento
E do Militarismo impróprio e consentido
Mas alguém nos diz... Não! Não houve razões, nem consentimentos,
Houve sim!
O raciocínio lógico e preciso
No Silogismo que se deixou aberto
Para o Neo Liberalismo
Para a Social Democracia, ou Centrão;
Para a Democracia Social... Sócia do Centro
Para a Democracia Ideológica
Prima e irmã... Do medo
E inimiga íntima do “Silêncio”
E da Corrupção Ativa das Sociedades Democráticas
E de outras, de outras, de outras;
E de quantas, de tantas, e Santas.
E de Quartas, e Quintas, e Sextas.
Sábados e Domingos... São outras contas
E Segundas e Terças; nem se vê... São outras Almas
Abrindo outros questionamentos
Lidando com extremismos Islâmicos
E outros Extremismos
Mas não será muito fácil abrir...
As três feridas narcisistas mencionadas por Freud
E prevalece Kant com o Cientificismo
O Ser é o Tempo
Independente dos paradigmas de linguagem
E da Linguística ímpar de Foucault
E nem Jasper
E nem Kurt Schneider
Que estudaram que a rotura da continuidade
Leva o Ser
A ter uma personalidade delirante
Daisem (ser aí)
Sosein (ser assim)
Como se em... Be or Not To Be
Como se em… Ser ou Não Ser;
Mesmo com traços Estênicos nítidos
De querelância própria
Ou de "litigância" reprimida
Pela supressão dos Direitos
Líquidos e adquiridos
Mas presos
Na suposição de perspectivas
Nunca! Ele! Propriamente dito
E se acrescentar a tudo isto que está sendo exposto
As Máximas de Marx
Para se compreender a Fenomenologia da Alienação
Nos parâmetros da dominação
Do Homem pelo próprio Homem
E ver prevalecer a Ortodoxia sistemática dos Sistemas
Nesta arquitetura peculiar e própria dos Impérios
Estabelecidos assim:
Nos momentos de crises que se criam
Rebuscando Mitos e Cavernas
Em atitudes críticas
Em censuras públicas
E vasculhando “coisas”
Que se não for assim, será “assado”
E qual será a reflexão Filosófica
E qual Filosofia do pensamento enigmático
Será que seja útil?
Ou se será inútil!
E para qual lado deva pender as utilidades
Para o Ocidente ou Europeu
Para o Oriente Médio
Não! Sim! Depende pra quem for
Para o Oriente?
Sim! Onde nasce o Sol
E olvidando a voz do Poeta
E sempre se lembrando dos Profetas
E em busca de “Salvos” e Milagres
E perscrutando os primeiros Filósofos
E perseguindo os Novos
E procurando Mitos pra ressuscitarem-os
Mas sem nenhum Milagre a não ser... Os milagres das Guerras
Principalmente se a causa é Santa
E possamos morrer
Clamando a Cristo e a Deus
Mas Filosoficamente falando
E Psicologicamente refazendo o próximo passado
De todos os quais
Foram catar “as bruxas” antes e culpá-las
Depois “crucificaram-nas”... Lideravam!!!
E se não liderarem mais
Chegou à vez... Da Bomba!
Mas quem será capaz de acioná-las se...
Quase todas as Potências têm.

                                  Dr. Ademar Raimundo de Barros.

Comentários do Autor: Despeço-me ou “Dispo-me”; mas ciente da minha lisura naquilo que defendi e defendo, pois até o presente momento nenhuma das Instituições que as expus em crítica; se propuseram a me denunciar por difamação ou calúnia por não ter uma base de sustentação para este fim. Reservo-me a partir desta data a privacidade de minhas Poesias Vivas, arquivo que compus: mas não serão demais as minhas últimas considerações... Devo ao Google Chrome aproximadamente Setes Postagem, para que haja um empate numérico com aquilo que ficou postado na Firefox: e que as questões protocolares que envolvam os repasses de dados estatísticos ficam por responsabilidade das duas, mas as minhas razões ficaram expostas para qualquer discussão neste País da Liberdade em termos de micro-gotas por minutos: aonde a Demagogia manda; inclusive vou tirar o Chapéu para não ficar Careca; pois quando um Candidato vem a Rede de Televisão para afirmar que reduziu o seu salário para servir de exemplo tá demais; será que pretende ser o novo Buda, e se eleito despachar lá na Rocinha, ou no Complexo do Alemão (quero ver), será mais um nesta Política pacificadora; e sem falar em quem falou que lançará proposta para a redução do tempo de Mandato Presidencial para Quatro anos; será que os demais Governadores e Prefeitos apoiariam esta fantasia Demagógica? E são por essas razões que me despeço aqui, e agora... Passem muito bem, por que meu “querido” Visor: pra mim agora basta!
Sem mais, um abraço para todos, e meus agradecimentos.
Dr. Ademar Raimundo de Barros.